fbpx
Aminoácidos Essenciais

Aminoácidos Essenciais

Os Aminoácidos são nutrientes que executam funções que são essenciais para o desenvolvimento cerebral, celular e ósseo. 
Os aminoácidos essenciais fazem parte dum grupo de moléculas orgânicas que o corpo não é capaz de produzir naturalmente. São obtidos através dos alimentos ou da suplementação e são fundamentais para a formação das proteínas.

Aminoácidos: O que são exatamente?

Muito se fala da importância dos aminoácidos para o nosso organismo e como têm um papel fundamental no desempenho funcional do nosso corpo, mas, afinal, o que são os aminoácidos – perguntas tu?

Muito bem! Então vamos a ver…
Os aminoácidos são moléculas da estrutura base das proteínas que, por sua vez, são das substâncias em maior quantidade nas células dos seres vivos, ficando apenas atrás da água. Os aminoácidos são fundamentais para a manutenção e a funcionalidade do nosso corpo e do metabolismo devido à sua intervenção em muitas das suas funções, como a regulação das hormonas e da glicose no sangue. Para os praticantes de atividades físicas, promovem o aumento da resistência física e da massa e condicionamento muscular, pois são uma das principais fontes de energia do metabolismo celular, no decorrer de atividades físicas intensas.
Os Aminoácidos são as unidades que compõem as proteínas. São moléculas orgânicas formadas por ligações de carbono, hidrogénio, oxigénio e nitrogénio. Podem apresentar também na sua composição enxofre e fósforo. Os vegetais são capazes de sintetizar todos os aminoácidos que necessitam a partir das cadeias de carbono dos açúcares que produzem na foto-síntese e dos nitratos que retiram do ambiente. No entanto, os animais humanos incluídos), sintetizam apenas alguns aminoácidos, obtendo os outros da alimentação. Por mais que o corpo humano tenha muitas variações de proteínas na sua composição, elas são formadas por 20 aminoácidos, sendo 8 essenciais e 12 não essenciais.

Aminoácidos Essenciais

Aminoácidos Não Essenciais

Vamos usar a seguinte analogia: ao considerarmos que os aminoácidos são tijolos de uma parede, podemos pensar que os essenciais são os que precisam de ser comprados para construir a estrutura por não serem produzidos pelo corpo. Os não essenciais são aqueles que a “obra” já tem, ou seja, que o organismo produz naturalmente e não precisam de ser comprados.

  1. Fenilalanina
  2. Isoleucina
  3. Leucina
  4. Lisina
  5. Metionina
  6. Treonina
  7. Triptofano
  8. Valina
Aminoácidos Essenciais
  1. Alanina
  2. Asparagina
  3. Aspartato
  4. Cisteína
  5. Glicina
  6. Glutamato
  7. Glutamina
  8. Prolina
  9. Serina
  10. Tirosina
  11. Histidina
  12. Valina
Aminoácidos Essenciais

Proteínas

Não é possível falar sobre aminoácidos sem falar de proteínas.
As proteínas estão presentes em praticamente todas as estruturas celulares e são responsáveis pela constituição de anticorpos e de hormonas. Controlam praticamente todos os processos que ocorrem numa célula, exibindo uma diversidade de funções quase infinita. A formação das proteínas é feita com aminoácidos unidos por ligações conhecidas por “ligações peptídicas”. No total, existem 20 aminoácidos que se combinam de formas diferentes, e são essas combinações que determinam as distintas funcionalidades.

As proteínas têm como principais funções:

  • construção dos tecidos;
  • atuação no transporte de substâncias;
  • composição de anticorpos e participação na defesa do organismo;
  • ação catalisadora de reações químicas;
  • composição de fluidos produzidos pelo corpo;
  • promoção de elasticidade dos tecidos;
  • regulação e composição das hormonas.

12 Benefícios dos Aminoácidos para a tua saúde

Os suplementos de aminoácidos são recomendados para culturistas, atletas, desportistas e praticantes de atividade física de forma geral, devido à necessidade de manter a energia e recuperação rápida depois dos treinos. Para idosos, gestantes e pessoas não adeptas de qualquer atividade física, recomendamos a consulta num médico ou nutricionista para uma melhor avaliação e saber que suplementação de aminoácidos pode ser adotada.

  1. Aumentam o desempenho nas atividades diárias e no exercício físico;
  2. Podem prevenir a perda muscular;
  3. Fornecem energia e reduzem a fadiga muscular;
  4. Ajudam na perda de peso e na queima de gordura;
  5. Podem contribuir no controle de glicémia (açúcar) no sangue;
  6. Contribuem para a absorção de cálcio;
  7. Aliviam o stress;
  8. Ajudam na cicatrização, elasticidade e rejuvenescimento da pele;
  9. Têm funções antioxidantes e anti-inflamatórias;
  10. Ajudam a melhorar o humor e a qualidade do sono;
  11. Diminuem a ansiedade e sinais de depressão;
  12. Ajudam a regular as hormonas.

Como consumir os Aminoácidos?

Para obteres todos os aminoácidos no organismo, é essencial que tenhas uma alimentação equilibrada, ingerindo alimentos que contenham aminoácidos, como carnes, ovos, queijo, feijão, entre outros. Além disso, podes (e deves) recorrer ao uso de suplementos, como o whey protein, que auxilia a aumentar a massa muscular e a reduzir a massa gorda, e contribui ainda para aumentar a tua força muscular.
Geralmente são consumidos antes ou logo após a atividade física, no entanto, o ideal é que consultes um profissional de nutrição, que te dará as orientações necessárias de medida, horários e quantas vezes ao dia serão suficientes para o teu organismo e o teu objetivo em concreto.

AMINOÁCIDOS SHAKER

Perda de Peso

E depois das férias?

A verdade é que a maioria das pessoas no período de férias só pensa em alimentos mais calóricos e menos saudáveis! Existe uma sensação de liberdade na falta de horários e de falta de rotina que potencia uma dieta menos equilibrada, e que faz com que com algum peso (e volume!) a mais possam instalar-se no teu corpo.

Restringir a Alimentação?

A solução, para muitas pessoas, pode passar por fazer uma dieta rica em alimentos com menos calorias e não ingerir alimentos como as carnes vermelhas, leite e derivados, açúcar, farinhas refinadas e gorduras, para além de voltarem à sua rotina de exercício físico.
Recomendamos que essas pessoas prefiram adotar uma alimentação com maior consumo de fruta, vegetais crus ou cozidos e alguns chás mais diuréticos. No fundo, trata-se duma limpeza do organismo que vai ajudar a recuperares a forma. Contudo, como é óbvio, deves aconselhar-te com um nutricionista para teres a certeza se este tipo de opção é o melhor para ti e para a tua situação em concreto.

Cortar na Quantidade de Comida?

A maioria das vezes, a primeira opção para muitas pessoas é cortar drasticamente na quantidade de comida ingerida, o que é (na nossa opinião) completamente errado!
Saltar o pequeno almoço, almoçar uma salada sem nenhuns hidratos de carbono, ou uma fruta e uma sopa para comer ao jantar são alguns dos exemplos mais comuns. Com esta restrição calórica diária, é normal que se perca peso, principalmente na primeira semana. No entanto (e muita atenção a este ponto!)  é impossível manter esta alimentação durante muito tempo.
Outra opção muito adotada pelas pessoas em geral, é a substituição das principais refeições por sumos de fruta ou batidos, o que não aportará mais que carências proteicas e em falta de ácidos gordos essenciais. Além disso, muitos destes batidos, pelas misturas de que são feitos, acabam por ter uma quantidade excessiva de fibra, que poderá ter efeitos laxantes no teu organismo e levar a uma possível desidratação, desequilíbrio e perturbação da tua flora intestinal e que só aumentará a sensação de desconforto a longo prazo.

A Solução !

O importante é recuperares o teu peso de forma saudável!
O que não acontecerá com nenhuma das opções mencionadas acima porque as perdas conseguidas são através da desidratação e de perda de massa muscular.

Perda de Peso

Assim, a melhor solução para recuperares dos excessos das férias é mais simples do que parece.
Retoma a tua rotina com uma dieta equilibrada e com muito exercício físico! Pode demorar um bocadinho mais de tempo, mas terás a certeza que é uma solução sustentada em opções que te conseguirão resultados muito mais duradouros.

Flavo Drops, Cherry – 38ml

Regresso saudável ao trabalho

Regresso saudável ao trabalho: Pós Férias sem Stress

Depois das férias é tempo de retomar rotinas e de regressar ao trabalho, o que nem sempre é fácil e mais difícil ainda é manter baixos os níveis de stress tal como conseguimos durante as férias.

Síndrome pós-férias: Realidade ou Mito?

Não há pausa mais desejada e mais merecida que as férias. No quotidiano atual, cada vez mais exigente e mais absorvente, as férias constituem uma oportunidade única para desligar, relaxar e recarregar as nossas baterias internas. No entanto, ao vislumbrarmos o fim deste período de descanso bem merecido, torna-se importante preparar (física e mentalmente) o regresso às nossas rotina do dia-a-dia para suavizarmos ao máximo o impacto desta mudança.
Existem pessoas (maioritariamente adultos do sexo masculino, mas não só) para quem estar de férias é sinónimo de deixar de estar ocupado, podendo revelar-se descompensador. 
Existem outras pessoas que aproveitam a paragem proporcionada pelas férias para realizar um reset à sua forma de ser e de estar.

Preparar o regresso sem Stress

É normal que o regresso à rotina seja gerador de alguma ansiedade. Não só pela perspetiva do trabalho que, entretanto, se acumulou como também será necessário articular os novos ritmos laborais com os novos ritmos familiares para quem tem filhos, já que o fim do verão representa o início de novo ano escolar.

Então, o que recomendamos é evitar que essa ansiedade natural devida ao regresso ao quotidiano se transforme em fonte de sentimentos negativos. Para isso, bastantes especialistas em gestão do stress deixam os seguintes 10 conselhos que transcrevemos abaixo e que recomendamos uma leitura atenta.

1. Evita que o último dia de férias seja na véspera do regresso ao trabalho.

2. Ajusta progressivamente os teus horários e as rotinas. Alguns dias antes, começa a organizar as tarefas da casa, de modo a que a transição seja o mais suave possível.

3. Se conseguires, regressa ao trabalho a meio da semana, pois assim são apenas dois ou três dias até teres uma nova pausa proporcionada pelo fim de semana e o impacto da mudança será menor.

4. No teu primeiro dia de trabalho, levanta-te um pouco mais cedo do que o necessário de modo a teres algum tempo para cuidares de ti, tomares o pequeno almoço sem pressas e saires de casa com tempo.

5. No teu local de trabalho, dá nova vida ao espaço. Por exemplo, reorganiza a tua secretária e liberta-te dos objetos que estejam a mais. Vais ver que assim enfrentarás o dia com novo ânimo.

6. Organiza a tua agenda e define as tuas prioridades. Se possível, começa o dia com uma tarefa que te seja gratificante e útil, como um novo projeto.

7. Não queiras resolver todos os assuntos pendentes logo no primeiro dia, pois corres o risco de rapidamente ficares ansioso, frustrado e cansado.

8. Não regresses apenas ao trabalho. Retoma também as atividades que te dão prazer, como as idas ao ginásio ou uma corrida no parque ao final da tarde.

9. Prolonga o espírito das férias. Organiza um jantar com amigos e partilha as fotografias dos melhores momentos. Leva para o emprego uma recordação das férias, como uma foto ou um objeto que te ajude a gerar emoções positivas.

10. Programa uma escapadela de fim de semana algumas semanas depois do teu regresso ao trabalho.

Regresso saudável ao trabalho

É sabido que o primeiro dia de regresso ao trabalho é o que custa mais. Mas estar sempre a pensar que as férias acabaram não ajuda nada. O melhor é canalizares as energias renovadas para uma nova atividade, seja no emprego, seja fora dele. E pensares que para o ano há mais férias. Por que começas já a planeá-las? Pode ser uma boa motivação…

CLA 3600 – Core Series – 90 softgels

Suplementos vitamínicos para estudantes

A importância dos suplementos vitamínicos para estudantes

Estão de volta os livros, os cadernos, as horas de concentração, os trabalhos de casa, as brincadeiras e o exercício físico. Com o regresso às aulas todos os estudantes voltam à rotina escolar e precisam de energia. Mas, será que todos os estudantes têm a mesma energia? As mesmas necessidades?
Ou será que o uso de suplementos vitamínicos pode ajudar? Nós explicamos…

Suplementos vitamínicos para estudantes: sim ou não?

Qualquer estudante com um estilo de vida saudável e equilibrado, com uma boa dose de exercício físico, com oito a nove horas de sono e uma alimentação saudável e variada, não precisará de recorrer à suplementação, uma vez que cumprindo todos estes requisitos, em princípio, não terá carências vitamínicas.

No entanto, com a chegada dos trabalhos de casa, projetos, fichas de avaliação, eventuais explicações e horas intensas de estudo, sabemos que nem sempre é fácil manter uma vida perfeitamente equilibrada e saudável nas crianças e jovens. Já para não falar das vezes em que não querem comer isto ou aquilo. Afinal, quem nunca ouviu falar daquele almoço na cantina que foi substituído por um snack bem mais delicioso no bar da escola? Com o tempo todo contado para que não se perca nenhuma hora fundamental de estudo para aquele teste tão importante, quantas vezes o lanche é esquecido? A recomendada garrafa de água foi substituída por duas garrafas de refrigerante bem mais doce e apetitoso? O grupo de amigos juntou algum dinheiro e gastaram tudo em guloseimas naquela loja de doces perto da escola? O verão ainda não foi acabou e com este calor, quem é que, no intervalo, não compra um gelado? Ou até, com a ansiedade e o nervosismo do regresso às aulas, se perde o apetite!

Dito isto, nem sempre é fácil não descurar uma dieta saudável e perfeitamente equilibrada quando se fala de estudantes.
É nestes casos que os suplementos vitamínicos podem ser grandes aliados das crianças e jovens neste regresso às aulas, e claro, também durante o ano letivo. 

Suplementos vitamínicos para estudantes

Com supervisão, os suplementos vitamínicos não têm de ser vistos como algo desnecessário, bem pelo contrário. Eles não fazem magia e não é por serem tomados que vão aumentar as notas dos estudantes ou fazer com que se tenham de se esforçar menos para atingir melhores resultados. Mas são excelentes aliados quando não se consegue garantir que qualquer jovem tenha a quantidade desejada de uma determinada vitamina no organismo.

Bom regresso às Aulas!

Os suplementos vitamínicos podem ser administrados de acordo com um profissional de saúde e com as necessidades e especificidades de cada estudante, uma vez que todos são diferentes e, por isso,  também têm necessidades distintas.
Nota: os suplementos não corrigem erros de alimentação ou a falta de exercício físico que não devem ser descurados nem nesta nem em nenhuma fase da vida.

Alpha GPC, 300mg – 60 vcaps

Probióticos: Benefícios e Como tomar

Probióticos: O que são, Benefícios e Como tomar

Só de olhar para a nossa barriga não dá para desconfiar, mas moram ali, no mínimo, 10 triliões de micro-organismos. Uma população tremendamente numerosa – a título de comparação, em todo o planeta somos, atualmente, 7,3 biliões de habitantes. Então, em cada organismo humano vivem esses triliões de microrganismos, desde bactérias a vírus e a fungos. Mas não te assustes, pois estes organismos encontram-se numa relação harmoniosa com o corpo humano, considerada benéfica para ambos. Assim como acontece na nossa sociedade, estes bichinhos têm família, nome e sobrenome. E, o mais importante de tudo é que executam inúmeras funções dentro do nosso corpo.
O grupo de microrganismos que habita no aparelho digestivo é considerado o mais amplo e o mais estudado, formando um complexo ecossistema – denominado de microbiota intestinal.

O poder dos probióticos

Como dito antes, o ser humano possui uma combinação de bactérias, umas benéficas e outras prejudiciais. As bactérias prejudiciais podem causar infecções bem como sérias consequências para o nosso organismo, enquanto as bactérias benéficas promovem um ambiente intestinal diversificado, protegendo e equilibrando a nossa flora intestinal. A quebra de equilíbrio acontece quando os micróbios potencialmente nocivos, que também habitam o intestino, se multiplicam a ponto de se sobreporem no jogo de influências sobre os bichinhos benfeitores. Uma das formas de evitarmos que isso aconteça ou de se reverter a situação é investir em probióticos – bactérias reconhecidamente benéficas.
Os probióticos são definidos pela organização mundial de saúde (FAO/OMS 2001)  microrganismos vivos, que quando administrados nas quantidades adequadas, conferem benefício à saúde do hospedeiro,  promovendo assim excelentes benefícios para a saúde. São aliados poderosos para qualquer pessoa que pretenda melhorar a sua saúde em geral e aumentar o seu bem-estar. 
Os microrganismos probióticos representam diversos benefícios para a saúde, como no tratamento e prevenção de diarreias provocadas por vírus ou bactérias, problemas intestinais, melhoria da imunidade e da intolerância à lactose e, até mesmo, na colaboração da redução do colesterol e da pressão arterial alta. Doses adequadas destes seres microscópicos ajuda a repovoar a microbiota, mas desta vez com indivíduos de boa índole 🙂

Desequilíbrio da flora intestinal: Sintomas

O nosso organismo envia diversos sinais para mostrar que a nossa flora intestinal está em desequilíbrio. Aprende abaixo a identificar os diferentes sintomas. Algum te parece suspeitosamente familiar?

Probióticos: Benefícios e Como tomar

Diarreia

Alteração no volume e consistência das fezes. Associada a um aumento do número de dejeções diárias.

Probióticos: Benefícios e Como tomar

Disbiose

Desequilíbrio na flora intestinal com alteração na quantidade e na diversidade de bactérias no intestino.

Probióticos: Benefícios e Como tomar

Virose

Infecção causada por vírus – desde quadros de autoresolução até quadros que podem mesmo ser fatais.

Probióticos: Benefícios e Como tomar

Efeitos dos antibióticos

Os antibióticos podem causar danos à flora intestinal, tornando-a mais vulnerável.

Disenteria

Diminuição da consistência das fezes e aumento das evacuações. Febre, cólicas, náuseas, muco e sangue nas fezes.

Desidratação

Se a quantidade de líquido perdida não é reposta de forma adequada, pode surgir um quadro de desidratação.

No Início Havia o Iogurte

O primeiro a observar os efeitos benéficos de algumas bactérias foi o cientista Elie Metchnikoff, reconhecido como o avô dos probióticos modernos. Em 1907, descobriu que, especialmente as bactérias ácido-lácticas, poderiam ter uma influência positiva na digestão e no sistema imunitário. Durante as suas viagens à região dos Balcãs, reparou que os povos rurais da Bulgária, apesar do clima severo e da pobreza extrema, viviam mais tempo do que os habitantes ricos das cidades europeias. Após pesquisar o seu estilo de vida, concluiu que um fator determinante seria a ingestão de bactérias fornecidas pelo consumo de leite azedo (também conhecido por iogurte) – elemento base das suas dietas.

Uma Nova Visão:

Os probióticos mais utilizados e estudados atualmente são os lactobacilos (Lactobacillus) e as bifidobactérias (Bifidobacterium). Sabe-se que interagem com o hospedeiro através de vários mecanismos,  como a alteração da composição da microbiota intestinal, o fortalecimento da barreira epitelial intestinal, a produção de substâncias antimicrobianas e a manutenção do sistema imune.
A microbiota intestinal tornou-se uma fonte de estudo extremamente importante para o conhecimento de determinadas patologias e tem sido implicada em inúmeras condições, incluindo doença inflamatória, obesidade e doença cardiovascular. Assim, as possíveis aplicações dos probióticos no futuro podem ir além do equilíbrio da flora microbiana e do sistema imunitário.
As relações e os banquetes travados dentro das nossas barrigas e os seus reflexos no corpo têm vindo a ganhar cada vez mais destaque e importância. É imperativo conhecer e valorizar o trabalho destas bactérias, saber como elas repercutem na nossa imunidade, no coração e até mesmo na saúde mental.

Microbiota Intestinal

É no intestino que se encontra a maior população de microrganismos do corpo humano: a microbiota intestinal. Constituída por bactérias de inúmeras espécies, que colonizam o trato gastrointestinal, a microbiota intestinal influencia o sistema imunitário – que se encontra maioritariamente no nosso intestino (70%).
A manutenção de uma flora intestinal saudável permite que exista uma adequada função da barreira intestinal – considerada como uma importante linha de defesa do organismo contra agentes patogénicos. Atualmente, cremos que a transferência de bactérias da mãe para o bebé ocorra durante a gravidez através da placenta.

Porque é que a Microbiota Intestinal é tão importante?

Os microrganismos têm vindo a evoluir lado a lado com a evolução da espécie humana e desempenham várias funções vitais no nosso organismo. Estão implicados quer na saúde quer na doença e estudos recentes têm demonstrado existir uma relação direta entre estas populações de bactérias e as doenças abaixo discriminadas.

A obesidade é um problema de saúde pública e uma doença crónica. É definida como uma patologia em que o excesso de gordura corporal acumulada pode afetar a saúde.

Com origem em diversos fatores, a obesidade requer esforços continuados para ser controlada. Constitui uma ameaça grave para a saúde e um importante fator de risco para o desenvolvimento e agravamento de outras doenças.

Fonte: https://www.sns24.gov.pt/tema/doencas-cronicas/obesidade/

Desnutrição é uma condição em que ocorrem problemas de saúde como resultado de uma dieta com consumo insuficiente ou excessivo de nutrientes.
A Desnutrição é também uma das perturbações do comportamento alimentar. As perturbações do comportamento alimentar são doenças que provocam distúrbios graves na forma como os doentes avaliam o seu peso e imagem corporal, com marcado impacto desta avaliação no seu autoconceito. 

A asma é uma doença crónica muito comum que se estima que atinja cerca de 300 milhões de pessoas em todo o mundo. Aurora Carvalho, pneumologista do Hospital Lusíadas Porto, dá a conhecer a enfermidade que afeta o aparelho respiratório de 7% dos portugueses.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/doencas/sintomas-tratamentos/que-asma-como-tratar

Da diabetes tipo 1 à diabetes gestacional, existem vários tipos, cada qual com características próprias. Fique a saber o que é a diabetes e o que caracteriza cada um dos tipos da doença.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/doencas/doencas-cronicas/conheca-tipos-diabetes

A doença de pele que atinge 10% das crianças é cada vez mais comum em Portugal. Conheça as causas e descubra como minimizar os sintomas.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/doencas/sintomas-tratamentos/eczema-tudo-que-precisa-saber

A esclerose múltipla é uma doença crónica inflamatória do sistema nervoso central que tem por base uma perturbação do sistema imunológico. Na prática, o sistema de defesa do organismo ataca o sistema nervoso central e vai gerando um “contínuo renovar de lesões” no cérebro e na medula espinal. O resultado é uma incapacidade cujos contornos específicos são muito variáveis e que afeta, estima-se, 5 a 6 mil pessoas em Portugal.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/doencas/doencas-cronicas/esclerose-multipla-que-deve-saber

O autismo é uma perturbação do desenvolvimento do cérebro em que as pessoas têm dificuldade de comunicação e nas interações sociais, podendo apresentar ainda padrões de comportamento, interesses e atividade fora do habitual, segundo a definição da Harvard Medical School.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/criancas/idade-escolar/que-autismo

Doença inflamatória crónica do intestino grosso (cólon) de causa desconhecida e ainda sem cura, na colite ulcerosa “o processo inflamatório atinge a camada mucosa do reto, podendo estender-se aos restantes segmentos cólicos. Se a inflamação se limita ao reto, designa-se de proctite ulcerosa, quando envolve os segmentos distais do cólon e o reto, dá-se o nome de colite ulcerosa distal e, caso se estenda ao cólon transverso e/ou cólon direito, trata-se de pancolite ulcerosa”. Os sintomas dependem, explica Paula Lago, “da extensão da inflamação no cólon. A hemorragia digestiva baixa sobre a forma de retorragia ou emissão de sangue vermelho através do ânus, o mais frequente. A diarreia com muco e sangue e a dor abdominal são mais frequentes nas formas mais extensas”.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/doencas/sintomas-tratamentos/doencas-intestino-conheca-melhor

São alguns os fatores que contribuem para que os cancros do pulmão, mama e colorretal sejam as patologias oncológicas mais prevalecentes.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/doencas/sintomas-tratamentos/ha-tres-tipos-cancro-mais-comuns-porque

A doença celíaca (DC) é uma doença crónica, autoimune, que surge na sequência da ingestão de glúten em indivíduos geneticamente suscetíveis e que se caracteriza por atrofia das vilosidades do intestino delgado, ou seja, uma lesão a nível intestinal, com consequente má absorção dos nutrientes e aparecimento de sintomas gastrointestinais e extraintestinais.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/prevencao-estilo-vida/nutricao-dieta/doenca-celiaca-que-qual-tratamento

Há várias doenças que debilitam o tecido cardíaco pondo em causa o seu funcionamento. A falta de ar, a fadiga e membros inferiores inchados são sinais desta doença que costuma afetar as pessoas mais idosas.

Fonte: https://www.lusiadas.pt/blog/doencas/sintomas-tratamentos/insuficiencia-cardiaca-sintomas-causas-tratamento

A microbiota intestinal tem inúmeras funções benéficas no nosso organismo, nomeadamente:

  • Defender-nos de microrganismos prejudiciais.
  • “Ensinar” o sistema imunitário a distinguir entre substâncias boas e substâncias nocivas e a destruir os compostos tóxicos.
  • Digerir melhor alguns tipos de alimentos, como os que têm um elevado teor de fibra. Quando a nossa microbiota digere a fibra, produz moléculas importantes, como os ácidos gordos de cadeia curta, com benefícios para a saúde dum modo global.
  • Retirar energia dos alimentos.
  • Favorecer a absorção de minerais, como o magnésio, o cálcio e o ferro.
  • Sintetizar vitaminas essenciais – como vitamina K, folato (B9) e os aminoácidos.
  • Ajudar a regular o apetite e a sensação de saciedade.
  • Influenciar o nosso comportamento e o nosso humor.

Uso diário de probióticos

É permitido usar probióticos diariamente?
A resposta é Sim!
Os probióticos não são úteis apenas pontualmente, como no caso de uma diarreia. O uso diário pode ser indicado, já que a administração contínua também pode proporcionar a manutenção dos seus benefícios.

Probiotic-10, 25 Billion – 50 vcaps

Diminuir a flacidez

Sabes como podes reduzir a flacidez da tua pele?

É certo que os peelings e os tratamentos a laser ajudam a pele a ficar mais bonita. Mas não são para fazer a toda e hora nem para todas as carteiras. No teu dia-a-dia adota as dicas fáceis de implementar que te apresentamos em seguida e que te vão garantir uma pele mais bonita e mais firme.

Consumir colagéneo

O colagéneo fornece aminoácidos que estimulam os receptores de fibroblastos que são as células que sintetizam as proteínas de sustentação ( colagéneo e elastina). O colagéneo aumenta a produção de ácido hialurónico, fundamental para a hidratação da tua pele.

Fazer exercício e tomar colagéneo

A musculação e exercícios que estimulam os músculos em geral, contribui para a redução da flacidez da pele no corpo. Num estudo (Jendricke et al., 2019) que avaliou os efeitos de exercícios de resistência (3 vezes por semana) combinados com a suplementação de 15g de peptídeos de colagéneo, verificou que, após 12 semanas as mulheres na pré-menopausa aumentaram a massa magra, melhoraram a composição corporal e ganharam força.
Isto comparado com outras mulheres nas mesmas condições que “malharam” o mesmo mas não tomaram quaisquer suplementos .
Noutro estudo (König et al., 2018) verificou-se que a suplementação, combinada com o exercício fisico regular, melhora bastante a densidade mineral óssea das pessoas em análise.

Aumentar o consumo de água

Aumenta o teu consumo diário  de água. Irás verificar que a tua pele ficará hidratada, mais macia, mais bonita e mais protegida contra as agressões externas do dia a dia.

Aumentar o consumo de antioxidantes

Os radicais livres (RL) são os grandes responsáveis por desestabilizar as membranas das células, danificar mitocondrias e o próprio material genético (ADN).
Aceleram o envelhecimento e aumentam o risco de se contrair mais de 40 doenças, incluindo cancro de pele.
Também deixam a tua pele mais flácida. Por isso, aconselhamos a que aumentes o consumo de antioxidantes que neutralizam os RL.
Para tal, consumir alimentos (ou suplementos) ricos em vitamina A, carotenóides, vitamina C, vitamina E e selénio é fundamental!

Evitar a glicação

Os sinais de envelhecimento da pele são resultado da diminuição e da desestruturação do colagéneo, das fibras elásticas e do ácido hialurónico. Sendo que este processo é acelerado pela glicação – reação não enzimática entre as proteínas, gorduras e açúcares (glicose e frutose). Neste processo, são formados AGEs (produtos finais da glicação avançada) que degradam o colagéneo e a elastina.

Combinar colagéneo com outros suplementos

As doses recomendadas variam de pessoa para pessoa, dependendo da fase da vida em que se está, do exercício realizado, de eventuais sintomas e da presença de outras carências. No entanto, deixamos abaixo alguns exemplos de dosagens comuns nestes suplementos.

  • Peptídeos ativos de colagéneo (peptan ou verisol) = 2,5g

  • Biotina = 1 mg

  • Zinco = 15 mg

  • Selénio = 100 mcg

  • Ácido ortosilícico estabilizado em colina = 10 mg

Quando comprares um colagéneo opta por uma marca que contenha ingredientes como vitamina C, biotina, silício e que seja livre de corantes e conservantes.

Em conclusão, para combater a flacidez do corpo, é altamente recomendado aumentar o consumo de alimentos ricos em proteína e em colagéneo, beber bastante água durante o dia, praticar atividade física, não fumar e manter um peso estável, pois assim é possível promover o desenvolvimento muscular, garantindo firmeza à pele e diminuindo a flacidez.

COLAGÉNEO + ÁCIDO HIALURÓNICO

Desportos de verão

10 desportos para praticares durante o verão

Os desportos de verão são ideais para praticar ao ar livre, no areal ou dentro de água. Aproveita a época balnear e o tempo livre para te divertires ao máximo. Que mais se pode querer da vida, não é?
Com a chegada do calor e das idas à praia, tornam-se mais apetecíveis os desportos de verão. Apetecem atividades físicas para praticar a céu aberto, com um clima mais quente e o ambiente descontraído que só a época balnear consegue proporcionar.
Este ano, não te fiques pelos banhos de sol e pelos mergulhos no mar. Convida os teus amigos e organiza práticas desportivas em conjunto, a bem da tua saúde e pelo bem-estar de todos.

Entretanto, vamos dar-te aqui alguns exemplos de desportos que podes adicionar ao teu estilo de vida, consoante o que mais te agradar. Não deixes para o próximo verão o que podes fazer ainda neste.

1. Surf ou Bodyboad

O surf é sempre um clássico do verão.
Podes fazê-lo na praia, nos intervalos dos teus banhos de sol.
É uma ótima atividade, pois trabalha os principais grupos musculares, bem como a parte cardiovascular. É divertido e ajuda a queimar gorduras, a tonificar os músculos e a melhorar a postura, o equilíbrio e a agilidade. Nota que em apenas uma hora de prática de surf, eliminarás facilmente 300 calorias ao mesmo tempo que te divertes à grande.

Nota: O freesurf é uma vertente do surf em que o praticante (conhecido como freesurfer) surfa única e exclusivamente para se divertir, sem se preocupar com a performance e sem participar em competições.

Desportos de verão

2. Canoagem

Quer seja num caiaque ou seja numa canoa, a canoagem  permite-te trabalhar sobretudo braços, peito e costas.
O equipamento é fácil de alugar e os mais aventureiros podem ousar descer um rio e, assim, subir enormemente os seus níveis de adrenalina.

3. Ciclismo

Se não és fã de desportos aquáticos, podes optar pela prática de ciclismo. Um excelente desporto em qualquer altura do ano, andar de bicicleta permite-te relaxar e passear – sozinho ou acompanhado – e, numa hora, terás queimado 800 calorias. O ciclismo é uma atividade rítmica e cíclica, ideal para desenvolvimento dos sistemas de energia aeróbico e anaeróbico. Desenvolve o sistema cardiovascular, sendo indicado por médicos especialistas como um ótimo exercício para queima de gordura corporal e desenvolvimento da resistência e da força muscular das pernas.

Desportos de verão

4. Mergulho

O mergulho, além dos benefícios para a tua saúde, é um desporto lindo, já que permitir-te-á teres as melhores vistas sobre as maravilhas que o fundo do mar guarda.
Numa hora de mergulho, poderás queimar até 400 calorias e ainda irás trabalhar o teu sistema respiratório e cardiovascular, melhorar a tua força e flexibilidade e estimular intensivamente os músculos e a tua circulação sanguínea.

5. Vólei de praia

Sem saíres do areal da praia, podes praticar vólei em conjunto com os teus amigos.
Só vais precisar de uma bola e de uma rede e, juntamente com a pura diversão, irás perder cerca de 400 calorias, enquanto trabalhas pernas, braços, glúteos e abdómen.

6. Corrida ou Caminhadas

Não há desporto mais simples, mais prático e mais barato que caminhar ou correr.
Limita-te a calçar umas sapatilhas e a vestir uma roupa confortável e estás pronto para uma corrida ou uma caminhada ao ar livre. Podes ainda fazê-lo na praia ou no parque, ao ritmo que desejares e enquanto respiras o melhor ar puro.

7. Ténis ou Badminton ou Padel

Reúne alguns colegas de trabalho ou amigos, escolhe um court adequado e diverte-te à grande com estes jogos estimulantes, que ajudam a tonificar os músculos e a queimar gordurinhas localizadas. Joga nas horas de menor calor e sol menos intenso para praticares estes desportos de forma totalmente segura. E, claro, não esqueças um boné, uma pala sobre os olhos ou mesmo um chapéu.

8. Golfe

O golfe é também um desporto muito apreciado, especialmente no verão.
Junto às zonas balneares irás encontrar bons campos de golfe para pores em prática esta atividade física, que requer, além de esforço físico, grande concentração mental e alguma técnica.

9. Stand Up Paddle

Este é um dos desportos de verão que tem vindo a ganhar cada vez mais adeptos. O stand up paddle teve origem no Hawai, nos anos 40, e consiste numa mistura de remo e de surf.
É relativamente fácil de aprender e é habitualmente praticado em lagoas ou em rios. O equilíbrio é a palavra-chave deste desporto, pois terás de remar em pé sobre uma prancha. Irás tonificar os teus braços e pernas, além de passares uns ótimos momentos.

10. Windsurf

Se queres trabalhar o abdómen sobre uma prancha, mas se não praticas surf, esta pode ser a opção adequada para ti.
Deves subir para uma prancha com uma vela, a qual servirá para mudar de direção, consoante o vento que se fizer sentir.

Em conclusão, como viste acima, são bastantes os desportos de verão que podes continuar a praticar ou que deves experimentares este ano. Das mais acessíveis às mais dispendiosas, das mais fáceis às mais complexas, das individuais às de grupo, tens muitas atividades físicas que podes e deves praticar para que os gelados e as bolas de Berlim não se traduzam em quilos a mais no teu corpo e na balança no final do verão.
Aproveita da melhor forma esta maravilhosa época sazonal e, já agora, não esqueças de continuares a tomar os teus produtos habituais da SHAKER para manteres a performance.

Boas Férias (mas sem esquecer o desporto)!

E NÃO ESQUEÇAS OS (NOSSOS) SNACKS

Suplementos nas férias

Os 7 suplementos que tens de levar nas férias

Todos sabemos que as férias são sinónimo de lazer, de descanso e, sobretudo, de viagens. Nas férias temos a oportunidade de conhecer novos destinos, novas culturas, novas pessoas e também novas gastronomias.

No entanto, é sabido que planear e fazer uma viagem pode ter vários efeitos negativos no teu sistema imunitário. Quanto mais longe for o destino e mais diferentes forem os fatores ambientais (como o clima, a alimentação, eventuais doenças), maior será a probabilidade de virmos a ter algumas complicações na nossa saúde. Não queremos com isto, de todo, desmotivar a que viajes. As viagens fazem muitíssimo bem à Alma. Apenas requerem algum cuidado e atenção a determinados detalhes, os quais, por vezes, nos esquecemos com a adrenalina da  destino a visitar.

Quando pensamos em viagens e em bagagens lembramo-nos imediatamente da roupa e do calçado a levar, dos produtos de higiene, da máquina fotográfica, do carregador do telemóvel, etc. Mas facilmente nos esquecemos ou descuramos certos “companheiros de viagem” igualmente importantes e, diríamos mesmo, essenciais, para trazermos apenas boas recordações das férias!!!

Nesse sentido, selecionamos uma lista de 7 suplementos que não poderão faltar na tua mala de viagem, para tornar as tuas férias completamente memoráveis e claro…mais saudáveis

Melatonina

Sabes certamente que o jetlag pode ser muito desestabilizador para qualquer um e afetar as defesas naturais do teu corpo. Quando o nosso ritmo normal está alterado, seja devido ao stress da viagem, ao facto de irmos para um lugar desconhecido ou seja pela diferença horária, o nosso sono costuma ser afetado. Por isso, ficas com dificuldade em adormecer e o teu sono pode tornar-se pouco reparador. A produção de melatonina acontece especialmente no fim do dia, quando já não existem estímulos luminosos e o metabolismo está mais lento, o que faz com que a sua produção aconteça principalmente à noite. Portanto, na hora de dormir, é importante evitar estímulos que possam acelerar o metabolismo e diminuir a produção desta substância. Ou então…tomares um suplemento de melatonina.

Suplementos nas férias

Probióticos

Nas férias costumamos experimentar comidas e condimentos diferentes, beber água que não sabemos se está nas melhores condições, etc. Isso pode levar à alteração dos teus hábitos intestinais. Resultado? Muitos viajantes passam por gastroenterites com episódios de vómitos e diarreias ou, noutros casos obstipação. Para evitares estes cenários, tomar probióticos (bactérias boas) reforçará o teu aparelho digestivo e o teu sistema imunitário.

Suplemento de Vitaminas e Minerais

Concordarás que quando estamos fora de casa temos tendência a comer refeições menos saudáveis e a ingerirmos mais comida processada.
Assim, a toma de suplementos de Vitaminas e Minerais é muito útil para compensar a falta destes nutrientes essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo.

Suplemento de cafeína

Todos sabemos que o café combate a fadiga e proporciona energia.
Também é um facto que a maior parte dos portugueses não vive sem café.
Mas lembra-te que no teu destino de férias o mais certo é não haver bicas ou cimbalinos em todo o lado como aqui.
Por isso, para evitares sintomas de privação e ganhares ainda mais energia para desfrutares a 100% das tuas férias, recomendamos que  leves contigo suplementos à base de cafeína.
Podes escolher em forma de cápsula ou em gel.

Bebidas hidratantes

Da viagem de carro ou de avião às longas caminhadas, passando pela alimentação que te pode provocar alterações digestivas, hidratares-te bem deve ser uma prioridade. Além recomendarmos que bebas muita água, deves levar contigo algumas águas enriquecidas com eletrólitos e hidratos de carbono que te serão bastante úteis em situações de desidratação e fadiga. Os géis hidratantes também são uma opção muito prática e que podem andar sempre contigo.

Detox hepático

Já sabemos que férias são sinónimo de excessos:

  • Excesso de comida com pouca qualidade nutricional.
  • Excesso de bebidas (e não falamos de água!!!)
  • Excesso de farra (bem merecida após um ano de rotina).

Portanto, tomares um suplemento Detox para eliminares o “lixo” acumulado no teu organismo pode ser o teu melhor amigo durante as tuas férias! Sobretudo para regressares delas como novo!

Comida para a viagem

E porque não levares a tua própria lancheira como costumas fazer durante o ano? Se fores de avião, evitas comer um pão que seria mais útil como arma de arremesso do que te alimentar!
Para não falar dos salgadinhos, que fazem toda a honra ao nome que lhes é dado. Recordas-te do que falamos acima, acerca da eventual (des)hidratação? Se fores de carro, as intermináveis horas de viagem costumam abrir o apetite e as Estações de Serviço estão ao nível de um qualquer reputado restaurante com meia dúzia de estrelas Michelin – não na qualidade das refeições, mas no PREÇO.

Barras Proteicas

Suplementos nas férias

Aveia Instantânea

Pão e Bolachas Proteicas

Suplementos nas férias

Boas Férias!

JÁ CONHECES AS NOSSAS BARRAS E SNACKS?

Vitamina D

Falta de Vitamina D aumenta risco de depressão

A melhor forma de obter a vitamina D é através da exposição ao sol, mas alguns alimentos como o salmão ou a sardinha são boas fontes desta vitamina. A suplementação em cápsulas também é aconselhada para manter os níveis nos valores recomendados.

A falta de vitamina D pode aumentar em até 75% o risco de depressão, sobretudo em pessoas mais velhas, de acordo com estudo publicado no Journal of Post-Acute e Long-Term Care Medicine. 

Conclusões do estudo científico

Para chegar a este resultado, a equipa em causa reuniu
3 965 pessoas com mais de 50 anos que participaram do Estudo Longitudinal de Envelhecimento da Irlanda (TILDA, na sigla em inglês).

Os participantes foram submetidos a uma avaliação inicial para recolha de dados.
A segunda avaliação ocorreu após 2 anos e a terceira, depois de passados 4 anos.
No fim desse período, os as conclusões mostraram que 400 indivíduos tinham desenvolvido depressão. Para os que registaram deficiência de vitamina D o risco foi 5% maior, mesmo depois de excluir outros fatores de risco, como doenças crónicas, níveis de atividade física e doenças cardiovasculares. 

Vitamina D

Benefícios da Vitamina D

Segundo o site especializado em questões relacionadas com a saúde –  Medical News Today – a vitamina D é um composto muito  importante para a saúde, dado que representa uma série de benefícios, nomeadamente:

  • Ajuda o corpo a absorver o cálcio e a manter os ossos saudáveis. Quando o corpo processa este nutriente, ele é transformado em calcitriol, a hormona responsável pela absorção de cálcio
  • Auxilia o cérebro no envio de mensagens
  • Atua no desempenho muscular
  • Apoia o sistema imunológico no combate a infecções

A importância dos suplementos

Os cientistas recomendam a toma de suplementos de Vitamina D para ajudar a prevenir a depressão, sobretudo na população idosa, e alguns chegam mesmo a sugerir a adição deste nutriente no tratamento dos transtornos mentais.
Outros estudos têm refutado a eficiência da suplementação na prevenção de diversas doenças, como o Alzheimer e as doenças ósseas. Portanto, recomendamos que antes de adicionar os suplementos à dieta, procure o conselho do seu médico. 

Basta-nos o sol ou os suplementos são necessários?

Embora seja possível garantir o aporte de vitamina D através da alimentação, cerca de 90% é conseguida através dos raios ultra violeta através da exposição direta ao sol.

Regra geral, cerca de 15 minutos de exposição solar direta são suficientes para assegurar os níveis de vitamina D necessários ao bom funcionamento do organismo. Mas, para que seja eficaz, essa exposição deverá ser feita sem qualquer protetor solar (que anula ou diminui a produção de vitamina D).

Contudo, existem alturas do dia em que o risco de queimaduras solares é grande, aliado à tentação de permanecer mais tempo ao sol. Este fator leva os especialistas em saúde a contrapor a produção de vitamina D e o risco de ficar, por exemplo, com cancro de pele. Quer num caso quer no outro, são também muito os dermatologistas que alegam ser incerta a quantidade de vitamina D que se produz de forma autónoma, já que além da exposição solar, a absorção depende do tipo de pele, da idade e ainda de outros fatores diferenciadores de pessoa para pessoa.

Nestes casos de incerteza aconselha-se o consumo de suplementos de vitamina D, cuja toma deve ser continuada no verão, evitando que qualquer indivíduo sinta a necessidade de se expor aos raios UV sem proteção.

CONHEÇA AS NOSSAS VITAMINAS E MINERAIS

Multivitaminicos

Multivitamínicos: quais os benefícios?

O seu cabelo está fraco e com pouco brilho? Já enfrentou dificuldades para ter mais disposição durante uma performance desportiva? A sua saúde mental já viu melhores dias?
Caso a resposta tenha sido positiva para estas perguntas, saiba que isso pode ser sinal de que o seu corpo pode estar a precisar de multivitamínicos.

Os multivitamínicos são ideais para suprir necessidades nutricionais que podem ocasionar distúrbios físicos e mentais no organismo. Além disso, são indicados para qualquer fase da vida e são adaptáveis a qualquer tipo de rotina. 

O que são os multivitamínicos? Sabe?

Até há bem pouco tempo, era comum as pessoas que apresentassem algum problema leve de saúde, como, por exemplo, ter unhas frágeis e quebradiças ou queda de cabelo, tivessem como indicação médica a ingestão de alimentos ricos em determinado nutriente.

Atualmente, com a evolução da ciência, é possível obter esses nutrientes sob a forma de cápsulas.
Ou seja, como multivitamínicos.

Regra geral, são suplementos nutricionais que contêm minerais e vitaminas e que podem ser formulados para necessidades específicas do organismo.
Alguns grupos de pessoas têm necessidades específicas de suplementação. É o caso das crianças, grávidas e idosos.

Multivitamínicos

Para que servem?

Não é segredo que o organismo precisa de determinadas quantidades diárias de nutrientes para ter um bom funcionamento e estar saudável. Para isso, tem como principal fonte uma alimentação saudável. Porém, é possível que os alimentos consumidos não contenham todos os nutrientes necessários para todas as funções do seu corpo. Então, os multivitamínicos auxiliam a suplementar a oferta de nutrientes.
Ou seja, eles contribuem para que o organismo não sofra com a falta de minerais e vitaminas, melhorando, ao mesmo tempo, a saúde e promovendo o bem-estar. Além disso, o uso de multivitamínicos pode resolver problemas como a falta de energia, mau humor, falhas de memória, unhas quebradiças entre outros.

Multivitamínicos

Como tomar?

O recurso a multivitamínicos deve ser indicado por um profissional de saúde e, se possível, após a realização de análises. Em qualquer dos casos, eles podem ser ingeridos durante uma refeição, como o almoço ou o jantar.
É durante as refeições que há consumo de alimentos que auxiliam o organismo a fazer a absorção das substâncias. Sendo assim, tomar multivitamínicos durante as refeições, poderá potenciar o efeito da suplementação. No caso dos multivitamínicos em forma de gomas, basta apenas a mastigação durante a refeição, sem ser necessário acompanhar com bebidas.

Quem toma multivitamínicos pode consumir bebidas alcoólicas?

As bebidas alcoólicas têm atividade psicoativa no corpo, promovendo uma sensação depressiva no sistema nervoso central. Desta forma, o consumo em excesso de álcool pode interferir na absorção de nutrientes essenciais.

Além disso, o consumo de álcool por tempo prolongado pode reduzir temporariamente o metabolismo de substâncias biotransformadoras. Por isso, a nossa recomendação é de que não haja ingestão de bebidas alcoólicas durante a toma de qualquer medicamento, incluindo os multivitamínicos.

Os multivitamínicos engordam?

A ingestão de multivitamínicos não tem relação direta com o aumento de peso. E a explicação para isto é bem simples. O facto é que os multivitamínicos não têm calorias significativas na sua composição. Além disso, não estão associados ao emagrecimento com toma exclusivo. Portanto, é crucial continuar a realizar atividades físicas, mesmo durante o consumo dos multivitamínicos.

CONHEÇA AS NOSSAS VITAMINAS E MINERAIS

Acabar com a celulite

Acabar com a celulite

O ideal de beleza física feminina nalgumas civilizações da Antiguidade, do Renascimento e do Barroco, baseava-se em mulheres mais “cheiinhas”, com músculos grossos e nádegas roliças. Mas, se analisarmos bem, essas características eram sobretudo resultado de bastante celulite. 

A celulite é uma patologia motivada por inúmeros fatores estreitamente ligados entre si. Os nossos cremes adelgaçantes irão permitir a tonificação das zonas afetadas e ajudar a diminuir esse problema. Uma pequena massagem aquando da aplicação do produto também irá ajudar a modelar o corpo, juntamente com a eliminação da gordura e da celulite. Também incitará a atividade do sistema linfático, aumentará o metabolismo celular e auxiliará o fornecimento de oxigénio e nutrientes aos tecidos.

A celulite resulta da pressão dos adipócitos sobre as camadas mais superficiais da pele. A acumulação destas células e a pressão que exercem fazem com que as fibras do tecido conjuntivo, que são responsáveis pela ligação entre a pele e o músculo, sejam puxadas para baixo, fazendo com que a pele fique com um aspeto irregular e ondulado.

Nas mulheres, os adipócitos e o tecido conjuntivo desenvolvem-se de forma perpendicular à pele enquanto, nos homens, se desenvolvem diagonalmente. Esta é, provavelmente, uma das razões pelas quais as mulheres têm mais tendência para desenvolver celulite. Adicionalmente, a gordura feminina encontra-se, por norma, distribuída pelas coxas, pelas ancas e pelo rabo, áreas nas quais é comum encontrar este problema.

Entender como aparece e o que a causa pode ser uma boa ajuda para perceber como eliminar celulite. 

O que é a Celulite? É possível eliminá-la?

Não há razão para sentir vergonha da sua celulite ou achar que é algo que deve ser eliminado, já que é perfeitamente normal e afeta mais de 90% das mulheres (mais predispostas para este problema que os homens).

A celulite aparece quando as células adiposas (adipócitos) fazem pressão sobre o tecido conjuntivo, dando origem à chamada “pele casca de laranja”. A forma como é formada faz com que seja praticamente impossível de remover sem o auxilio de produtos específicos e massagens localizadas. 

A celulite é classificada em três graus – ligeiro, moderado e severo. Naturalmente, quanto mais ligeira, mais fácil é a sua redução e/ou eliminação.

Tratamento da celulite – o que fazer?

1 – Coma de forma (mais) saudável

Uma dieta com excesso de toxinas e gorduras promove a acumulação de tecido adiposo sob a pele e contribui para o aparecimento de celulite. Já os cereais integrais e as fibras ajudam a eliminar as toxinas do corpo, pelo que representam uma boa opção. Evite alimentos com alto teor de sal já que este pode causar inchaço e desidratação, ambos fatores que também provocam celulite. Finalmente, se ingerir menos calorias do que as que gasta, também vai queimar gordura e, portanto, prevenir o aparecimento desta condição.

2 – Hidrate-se

Quase 60% do nosso corpo é composto por água. Sem ela, a nossa pele tornar-se-ia mais fraca, fina e enrugada. Quando a pele está desidratada, a celulite torna-se mais visível. Pelo contrário, beber bastante água pode aumentar a elasticidade da pele e ajudar a moderar a celulite.

3 – Escove ou massaje a pele

Escovar a seco ou massajar a pele são boas formas de promover a drenagem linfática – processo que ajuda o corpo a eliminar o excesso de toxinas. Escovar a pele melhora a circulação e exfolia-a. Também pode auxiliar na dissipação dos depósitos de gordura que provocam a celulite. 

4 – Faça (mais) exercício

Para eliminar a celulite nas pernas, certifique-se de que exercita a parte inferior do corpo tanto quanto possível, nem que seja um treino de 20 minutos algumas vezes por semana. Fazer exercício ajuda a melhor a circulação e a queimar gordura, o que, por sua vez, ajuda a combater a pele casca de laranja.

5 – Use roupa menos apertada

A roupa apertada, quando usada com frequência e por longos períodos de tempo, restringe a circulação e, por isso, aumenta a probabilidade do aparecimento de celulite.

6 – Evite situações de stress

As hormonas têm uma grande influência na celulite e o estrogénio, não são as únicas culpadas. Aprender a lidar com o stress é essencial porque este aumenta os níveis de cortisol, que, por sua vez, estimula o aparecimento da celulite.
Uma boa ideia é arranjar tempo para relaxar o corpo e a mente. Seja uma aula de ioga, seja uma hora de leitura ou um banho de imersão. Se sentir mais ansiedade, também pode experimentar fazer exercícios de respiração.

7 – Exfolie

Exfoliar, sobretudo a zona das  coxas ou das pernas afetada pela celulite elimina as células mortas e estimula a circulação.

8 – Evite comida demasiado salgada

Os alimentos com alto teor de açúcar, sal e gordura podem contribuir para a celulite porque o seu consumo leva à acumulação de adipócitos, que podem causar inchaço. Já a comida demasiado salgada pode inflamar os tecidos e, portanto, fazer com que a celulite se torne mais pronunciada.

9 – Opte por um creme que fortaleça e reafirme a pele

Embora os fatores que causam a celulite não estejam apenas relacionados com a pele, se esta estiver fraca, pouco nutrida, flácida ou seca, 0 problema torna-se mais notório. A falta de colagénio enfraquece a pele e faz com que a pressão que o tecido adiposo exerce sobre a mesma seja maior. Experimente o nosso Pack ABS e Buns of Steel

O NOSSO CREME REAFIRMANTE E TONIFICANTE

Acabar com a celulite

12 Benefícios Incríveis do Ômega 3

O Omega-3 é um tipo de gordura boa que tem uma potente ação anti-inflamatória e que, por isso, pode ser utilizado para controlar os níveis de colesterol e de glicémia ou para prevenir doenças cardiovasculares e cerebrais. Além disso, melhora a memória e a disposição. Conheça, neste artigo 12 benefícios do omega-3 para a nossa saúde.
Existem três tipos de omega-3, nomeadamente:

O omega-3 pode ainda ser consumido como suplemento na forma de cápsulas, vendidas em farmácias, lojas de produtos naturais ou sites de venda online para usufruir de todos os seus benefícios.

Pelas suas propriedades, o omega-3 tem sido indicado como um nutriente essencial para uma dieta saudável e equilibrada, já que pode fornecer diversos benefícios para a saúde. Enumeramos 12 dos benefícios do omega-3 mais abaixo.

1 – Diminui a inflamação

O omega-3, devido às suas propriedades anti-inflamatórias (como referido acima) pode ser muito útil no tratamento, por exemplo, da doença inflamatória intestinal ou da artrite reumatóide. Reduz a produção de substâncias inflamatórias como os eicosanoides e as citocinas. A ação anti-inflamatória do omega-3 também ajuda a prevenir danos celulares que podem levar ao aparecimento de cancros. 

2 – Protege contra doenças cardiovasculares

O omega-3 ajuda a reduzir o mau colesterol e os triglicerídeosque são responsáveis por formar placas de gordura nas artérias. Promove, por isso, um melhor funcionamento das artérias e ajuda a evitar enfartes, arritmias, insuficiências cardíacas e derrames cerebrais.
Além disso, ajuda a aumentar o bom colesterol, a controlar a pressão sanguínea e a reduzir os danos nas células, mantendo os vasos sanguíneos saudáveis.

3 –  Evita a formação de coágulos

O omega-3, especialmente o DHA e o EPA, tem propriedades anti-coagulantes, reduzindo a formação de coágulos sanguíneos por impedir que as plaquetas do sangue se agrupem. Portanto, esta gordura pode ajudar na prevenção de complicações graves, como tromboses venosas profundas ou embolias pulmonares.
 

4 – Previne doenças auto-imunes

Alguns estudos demonstram que o omega-3 pode ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento de doenças auto-imunes, que acontecem quando o sistema imunológico não reconhece células saudáveis no corpo e as ataca, destruindo estas células, como, por exemplo, na diabetes tipo 1 ou na esclerose múltipla. Além disso, esta gordura pode auxiliar no tratamento do lúpus, artrite reumatóide, colite ulcerosa, doença de Crohn ou a psoríase. 

5 – Ajuda a controlar a glicémia

Alguns estudos mostram que o omega-3 pode ajudar a reduzir os níveis de açúcar no sangue, por melhorar a resistência da hormona da insulina, podendo ser um importante aliado no tratamento da diabetes tipo 2. 
A ingestão de cápsulas com 1g óleo de peixe (com 430 mg DHA + 60 mg EPA) durante 3 meses, mostrou (num ensaio clínico) que os níveis de insulina no sangue foram reduzidos nos participantes, indicando que o uso de suplementos de omega-3 pode ajudar a prevenir a diabetes.

6 – Melhora o funcionamento cerebral

O omega-3 é um nutriente muito importante para as funções cerebrais, pois 60% do cérebro é constituído por gordura, especialmente omega-3. Por isso, a deficiência desta gordura pode estar associada a uma menor capacidade de aprendizagem ou de memória.
Assim, aumentar o consumo de omega-3 pode ajudar a proteger as células cerebrais garantindo o bom funcionamento do cérebro, melhorando também a memória e o raciocínio.

7 – Melhora a qualidade da pele

O omega-3, especialmente o DHA, é um dos componentes das células da pele, responsável pela saúde da membrana celular que mantém a pele macia, hidratada, flexível e sem rugas. Assim, ao consumir omega-3 é possível manter essas características da pele por mais tempo.
O omega-3 também ajuda a proteger a pele dos danos do sol que podem causar envelhecimento precoce ou até cancro de pele, pois que possui um efeito anti-oxidante.

8 –  Ajuda a combater a depressão

O omega-3 protege as células do cérebro, melhorando a sua atividade, levando a um aumento de substâncias responsáveis pelas emoções, pelo humor e pelo bem estar como a serotonina, a dopamina e a noradrenalina. 
Ajuda a prevenir, combater e auxiliar no tratamento da depressão, diminuindo os sintomas depressivos, as perturbações do sono e a falta de apetite sexual, que são sintomas comuns em pessoas deprimidas.

9 – Combate a asma

O omega-3, por ter ação anti-inflamatória, ajuda a combater a asma, além de também poder diminuir o risco de novas crises asmáticas. O consumo de alimentos ricos nesta gordura ou recorrer ao uso de suplementos pode ser indicado por nutricionistas com o objetivo de complementar tratamentos indicados pelo médico.

10 – Previne o Alzheimer

Alguns estudos mostram que o consumo de omega-3 pode reduzir a perda de memória, a falta de atenção e a dificuldade no raciocínio lógico. Logo, pode diminuir o risco de desenvolver Alzheimer, por melhorar o funcionamento dos neurónios cerebrais. Entretanto, ainda são necessários mais estudos que comprovem este benefício. 
 

11 – Controla o déficit de atenção e a hiperatividade

Muitos estudos mostram que a deficiência de omega-3 está associada ao transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) nas crianças. O aumento do consumo de omega-3, principalmente do EPA, pode reduzir os sintomas deste transtorno, ajudando assim a melhorar a atenção, na conclusão de tarefas e a reduzir a hiperatividade, impulsividade, agitação e agressividade.

12 – Melhora o rendimento muscular

A suplementação com omega-3 ajuda a reduzir a inflamação muscular causada pelo exercício físico, acelerando a recuperação dos músculos e diminuindo a dor pós treino.
Também ajuda a melhorar a disposição e a potenciar o desempenho nos treinos, além de ser importante para facilitar o início de atividades físicas ou para pessoas em tratamentos médicos, como fisioterapia ou reabilitação cardíaca.
 

Quantidade diária recomendada de Omega-3

A dose diária recomendada de omega-3 varia de acordo com a idade, como indicado abaixo. Tenha em atenção a sua faixa etária para usufruir dos benefícios do consumo de Omega-3.

  • Bebés dos 0 aos 12 meses: 500 mg;
  • Crianças de 1 a 3 anos: 700 mg;
  • Crianças de 4 a 8 anos: 900 mg;
  • Meninos de 9 a 13 anos: 1200 mg;
  • Meninas de 9 a 13 anos: 1000 mg;
  • Meninos de 14 a 18 anos: 1600 mg;
  • Meninas de 14 a 18 anos: 1100 mg;
  • Homens adultos e idosos: 1600 mg;
  • Mulheres adultas e idosas: 1100 mg;
  • Gestantes: 1400 mg;
  • Mulheres que amamentam: 1300 mg.

É importante lembrar que, em casos de deficiências ou aumento das necessidades nutricionais, a suplementação de Omega-3 deve ser feita sob recomendação de um médico ou de um nutricionista para tirar partido dos Benefícios do Omega-3.

Quando tomar suplementos de omega-3

A suplementação de ômega-3 normalmente é indicada durante a gestação e a amamentação, quando se tem deficiência deste nutriente no organismo ou durante tratamentos contra a flacidez e a acne. Os suplementos de omega-3 também podem ser indicados para prevenir doenças como diabetes, Alzheimer e doenças cardiovasculares
Para prevenir a carência de omega-3, manter uma dieta equilibrada e consumir peixes pelo menos 2 vezes por semana já garante os níveis adequados de omega-3  no organismo. Já em dietas vegetarianas, uma opção é usar o óleo de linhaça, que pode ser consumido pelo menos 1 vez por dia, como tempero para saladas, por exemplo.

Como escolher os suplementos

Existem diversos tipos de suplementos de omega-3, como o óleo de peixe, óleo de fígado de bacalhau, o óleo de krill, ou ainda de origem vegetal, como o óleo de algas, o óleo de semente de linhaça ou o óleo de semente de chia. 

Para escolher o melhor suplemento para si e para adotar os benefícios do omega-3, sugerimos que siga as nossas recomendações abaixo.

  • Dar prioridade a suplementos que contenham somente EPA ou que tenham uma proporção maior de EPA do que de DHA nas cápsulas.
  • Escolher os suplementos com óleos de peixes selvagens, pois possuem melhor qualidade de omega-3.
  • Optar por suplementos com certificação quanto à pesca sustentável, a pureza do óleo e o percentual de EPA e DHA nas cápsulas.

Note que a quantidade de EPA e DHA nas cápsulas dos suplementos de omega-3 varia de acordo com o fabricante. O suplemento de óleo de peixe contém, em média, 1.000mg de óleo por cápsula, com 180mg de EPA e 120mg de DHA. Já os óleos de algas marinhas contêm de 100mg a 300mg de DHA e alguns também podem conter EPA.
Dê preferencia aos suplementos de omega-3 com melhor absorção, como o s que contêm os ácidos gordos livres, triglicerídeos naturais, triglicerídeos reesterificados e fosfolipídeos. 

O NOSSO SUPLEMENTO DE ÔMEGA-3

186349
APROVEITE 10% DE DESCONTO NAS SUAS COMPRAS
Basta que subscreva a nossa Newsletter

Antes de finalizar a sua compra, coloque o código que vai receber no seu email na zona dos cupões.
O seu desconto será aplicado de imediato.

Não pretendo usufruir deste desconto.
Website 100% seguro nos pagamentos.
MARCAS
ALRI (0)
BeVego (0)
BSN (44)
CNP (0)
Evogen (0)
GAT (65)
GENR8 (0)
Himalaya (103)
Jell-O (0)
Mars (0)
Mayram (0)
MHP (14)
Minami (0)
Natrol (86)
NeoCell (22)
NOW Foods (1025)
Nutrend (94)
Nutrex (65)
Oatein (0)
Osavi (74)
PhD (0)
Pro Tan (29)
Redcon1 (130)
Revive (1)
RYSE (0)
SAN (0)
SciTec (349)
Solgar (0)
Swanson (681)
Weider (128)
Xtend (15)
Select the fields to be shown. Others will be hidden. Drag and drop to rearrange the order.
  • Image
  • SKU
  • Rating
  • Price
  • Stock
  • Availability
  • Add to cart
  • Description
  • Content
  • Weight
  • Dimensions
  • Additional information
  • Attributes
  • Custom attributes
  • Custom fields
Click outside to hide the compare bar
Comparar
Wishlist 0
Open wishlist page Continue shopping
Carrinho fechar